Seguro para carros usados: vale a pena?

20/10/2021

Existe diferença entre valores e coberturas para carros usados? Vem descobrir. 

Fazer um seguro para o seu carro, ainda que não seja obrigatório, é uma necessidade para qualquer pessoa que queira garantir algum tipo de proteção ao investimento feito ao adquirir um veículo. Essa máxima vale para os carros usados também. 

Há quem pense que o seguro auto para usados não é necessário, talvez por ser um carro em que já foi feito um investimento menor do que um zero quilômetro, contudo, seja seminovo ou mesmo um carro antigo, ter um seguro é ter investimento anti-risco e evita ser pego de surpresa em inúmeras situações e, principalmente, previne grandes prejuízos.

Vamos juntos descobrir aqui como funciona os seguros para carros focados em modelos usados.

Existe alguma diferença entre seguro auto para carros usados e zero quilômetro.

Não diferença alguma com relação as coberturas oferecidas, contudo pode haver mudança no valor, sendo o preço do seguro auto do usado maior que o do zero quilômetro. A matemática aqui é simples, o carro novo tem menos chances de apresentar algum problema mecânico, visto que não desgaste. Já o carro usado possui mais tempo de uso e, portanto, esses riscos de defeitos aumentam. Quando mais tempo o carro tiver maior será o valor do seguro. 

Um ponto importante para os usados é a questão do tempo máximo de uso do veículo, para carros nacionais entre 10 a 15 anos e para importados cerca de 5 anos. Isso quer dizer que, se o carro tiver mais tempo, ele não será aceito pelas seguradoras. Contudo, vale ressaltar que, se o seu veículo já possui um seguro e este vem sendo renovado, caso ultrapasse o tempo máximo ele continuará segurado. Esta regra se encaixa para carros que não possuem seguros.

Só pra citar, as coberturas para os usados são as mesmas, variando apenas o preço de acordo com índice de risco que o carro apresenta, mas estão disponíveis carro reserva, guincho, cobertura contra danos morais, cobertura de terceiros, entre outras tantas. 

Entenda as necessidades do seu usado versus o seu perfil e encontre o seguro perfeito.

Para fazer a melhor cotação para o seu usado é fundamental procurar uma corretora de confiança que irá analisar as melhores possibilidade de valores entre as seguradoras disponíveis no mercado.  Será necessário fazer a vistoria do veículo para averiguar se as condições dele, assim como tempo de uso do carro. Soma-se a isto o perfil de risco do cliente, se há históricos de acidentes, que apresente uma avaliação da prudência do condutor assim como suas necessidades, como por exemplo, se ele usa o carro diariamente ou se pontualmente, se é para uso pessoal ou comercial. Tudo isso entra na balança para compor o preço do seguro. 

Não precisa dizer que, quanto mais antigo for o carro e maior imprudência do motorista, maior será o valor pago a seguradora. Mas há contrapartidas que trazem vantagens, como por exemplo, um modelo mais antigo tem menos apelo entre os registros de roubos e furtos, logo pode-se obter um valor menor para este tipo de cobertura, que mesmo que pareça desnecessário, no sentido de “não precisar”, já que o carro não está no radar da criminalidade, mas vale salientar que ele não está imune e pode sofrer esse tipo de risco sim. 

Avaliar as necessidades particulares para a sua vida juntamente com as condições do seu carro garante uma apólice personalizada ao que você realmente precisa. 

Mas se custa mais caro, vale a pena? 

Sim, sem dúvida. Este é o mais caro que compensa, afinal, não ter seguro é entregar o seu bem a própria sorte, sem chance de reaver um centavo caso você o perca em um acidente ou roubo, fora as coberturas que envolvem terceiros e os passageiros, isto porque assistências médico-hospitalares no modo particular são caríssimas, então se salvaguardar de situações como essas é se planejar dentro de uma realidade que pede prudência e segurança em meio a tantos riscos diários.

X
X