Quais fatores determinam o valor do seu seguro auto?

02/10/2021

Entenda porque o preço varia de motorista para motorista.

Quando a gente sabe quais elementos influenciam o valor, para mais ou para menos, no seguro auto fica mais fácil entender quais escolhas podem auxiliar na hora de fazer o melhor negócio. Contudo, é importante já deixar registrado que a variação de preço tem influência direta com perfil do segurado, por isso que se realiza a cotação do serviço, para se compreender uma série de fatores que irão determinar o preço final do seguro. Vem com a gente para entender cada um desses pontos 

Mas antes, vamos entender como que é feita esta cotação.  

O preço que chega até você do seu seguro é resultado de um cálculo individual focado nas suas necessidades. Basicamente a seguradora vai querer avaliar qual o seu perfil e do seu carro para entender quais as chances, mediante a essas informações, de ocorrer um sinistro com o seu veículo. Para esta análise de perfil são avaliados uma lista de fatores que irão determinar se esse risco é maior ou menor. Quanto maior o risco, maior o valor a ser pago.  

Vamos agora entender que pontos são esses que entram nesta avaliação. 

Idade do motorista | Risco diminui enquanto a faixa etária aumenta.

Condutores com a faixa etária de 18 a 24 anos entram na lista de risco mais alto, portanto pagam mais no seguro auto. Os motoristas com idade superior tendem a pagar menos. Essa matemática é baseada no fator comportamental alinhado as idades, pessoas mais jovens são avaliadas como menos experientes e com maior propensão para acidentes, já os mais velhos entram para o time dos mais prudentes para acidentes de trânsito. 

Perfil do motorista | Histórico de Acidentes, Gênero e Estado Civil. 

Será realizado um levantamento do histórico do motorista, no qual procura-se saber se ele já se envolveu em algum ou muitos acidentes. Motoristas mais prudentes, com um perfil de nenhum ou acidentes pontuais geralmente são premiados pelas seguradoras comum bônus que pode ser utilizado como desconto na renovação do seguro. O gênero do condutor também entra na análise, mulheres são apontadas em pesquisas por se envolverem em sinistros mais leves e baratos, enquanto homens em sinistros mais caros.  Outro foco de análise no perfil é o estado civil do condutor, as análises estatísticas indicam as seguintes relações com este fator:  divorciados e solteiros tem o valor mais elevado do que os casados. Essa diferenciação é atrelada ao comportamento desses dois três públicos. Divorciados e solteiros teriam, basicamente, a vida mais agitada que os casados, ampliando a possibilidade de acidentes. 

Área de circulação do carro.

A distâncias percorridas usualmente pelo condutor, o local onde mora, analisando questões de violência o tamanho da cidade também influencia no valor do seguro. Com relação as distâncias rodadas o foco está no desgaste do veículo, que ao perder sua potência amplia a possibilidade de falhar e causar algum acidente. Seguro de carro na grande São Paulo e demais metrópoles do país, como Recife, tendem a ter o valor mais alto. Contudo, se houver a existência de uma garagem ou estacionamento comprovado, que ajude ampliar a proteção junto ao veículo o valor por diminuir. 

Qual a finalidade de uso do veículo.

Carros utilizados de forma mais doméstica/pessoal, que não rodam tanto pagará um valor menor. Já veículo comerciais que percorrem mais distâncias pagarão mais.  

Agora o foco é o carro: modelo, marca e idade.

Assim como é analisado todos os detalhes do condutor, também será avaliado vários pontos do veículo a ser assegurado. Veículo com modelos caros, como importados, ou muito antigos tendem a pagar mais caro. Isso porque as peças de reposição são mais caras também. 

Já carros de modelos mais populares tendem a ser mais baratos, mas isso também vai depender do grau de popularidade do veículo no mercado de roubos e furtos, se for um modelo visado há chance de o valor ser mais caro. 

Tipos de Coberturas para o seguro auto.

As coberturas influenciam e muito no valor do seguro e é importante estar atento ao tipo, como coberturas compreensivas, básicas ou parcial. Cada uma delas oferece um tipo de proteção e consequentemente valor. 

A cobertura compreensiva por exemplo, cobre colisão parcial ou completa, roubo, furto, danos a terceiros, incêndio e danos por desastres naturais. Já a cobertura básica ou parcial não conta com proteção a terceiros, muito menos para desastres naturais e incêndio, mas custa mais barato. Com uma corretora de seguros do seu lado escolher o que deve pesar na balança para cotar o melhor seguro para você é essencial. 

Franquia: normal ou reduzida?

Para finalizar uma dica importante: a franquia normal deixa o preço do seguro mais barato, todavia, quando você precisar acionar o seguro vai pagar mais caro. Portanto, já sabe, contar com uma consultoria especializada no momento de escolher o seu seguro é decisão mais acertada pata nem pagar mais caro e nem optar por uma personalização que deixa você descoberto em algo necessário.

X
X